C   redit
Livros usados, pessoas usadas, flores usadas, amores usados.
Charles Bukowski.
Eu a odiava por não se importar comigo. Eu a odiava por ter me deixado naquela noite. E odiava a mim mesmo por tê-la deixado ir embora, porque, se eu tivesse sido suficiente, ela não teria querido ir embora. Simplesmente teria se deitado comigo, conversado e chorado. E eu a teria ouvido e teria beijado as lágrimas que caiam dos seus olhos.
Quem é Você, Alasca?
Há uma solidão tão grande nesse mundo
que você pode vê-la no lento movimento dos
ponteiros do relógio.
Velho Bukowski.
Eu tinha e tenho um monte de coisas pra te dizer, daquelas coisas que a gente cala quando está perto.
Caio Fernando Abreu
Todo amor é bonito,
feio é não amar.
Eu me chamo Antônio
E mesmo que tudo dê errado, mesmo assim, não tem problema. Eu deito no telhado de uma casa qualquer, olho pro céu e invento uma nuvem que chove sorrisos, bem em cima de mim.
Los Hermanos.
Um coração como poucos. Um coração a moda antiga.
Clarice Lispector.
Ouvir em silêncio era meu modo de conviver em sociedade.
Quem é você, Alasca?
Não há nada que ensine mais do que se reorganizar depois do fracasso e seguir em frente. Mas a maioria das pessoas fica paralisada de medo. Elas têm tanto medo do fracasso que acabam fracassando. Estão condicionadas demais, acostumadas demais que digam o que devem fazer. Começa com a família, passa pela escola e entra no mundo dos negócios.
Charles Bukowski