C   redit
Não me venha com esse papo de fim do mundo: o mundo acaba todos os dias desde que o mundo é mundo.
Eu me chamo Antônio
Se eu sinto falta do seu amor?
Como posso sentir falta se ele nunca existiu, nem sei que cara ele teria, nem sei que cheiro ele teria. Não existiu morte para o que nunca nasceu.
Tati Bernardi.
Lembrando que você disse que nunca desistiria.
Tati Bernardi. 
Quando foi que você encontrou um lugar melhor que aqui para largar tuas tralhas e teus anseios pelo chão? Em que fotos, varais e ombros estão estendidos agora teus planos adolescentes? Encaixoto tudo e mando pra onde? E você, volta quando? Também aceito devolução.
Gabito Nunes. 
Não solta da minha mão.
Los Hermanos.
A gente encontra alguém, vez ou outra, que faz a gente acreditar em tudo, a parte ruim é que… Se essa pessoa te magoar, você não vai mais acreditar em nada, porque ela é única.
Orquestrando.
Eu só aceito a condição de ter você só pra mim. Eu sei, não é assim, mas deixa eu fingir e rir.
Los Hermanos.
Pode-se prometer atos, mas não sentimentos; pois estes são involuntários. Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou sempre odiá-lo ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; no entanto, pode prometer aqueles atos que normalmente são consequência do amor, do ódio, da fidelidade, mas também podem nascer de outros motivos: pois caminhos e motivos diversos conduzem a um ato. A promessa de sempre amar alguém significa, portanto: enquanto eu te amar, demonstrarei com atos o meu amor; se eu não mais te amar, continuarei praticando esses mesmos atos, ainda que por outros motivos: de modo que na cabeça de nossos semelhantes permanece a ilusão de que o amor é imutável e sempre o mesmo. — Portanto, prometemos a continuidade da aparência do amor quando, sem cegar a nós mesmos, juramos a alguém amor eterno.
Friedrich Nietzsche.